0 SOBRAC | Hormônios Bioidênticos
SOBRAC - Associação Brasileira de Climatério
Buscar
Acesse nosso Facebook

Hormônios Bioidênticos

Com o aumento da expectativa de vida do brasileiro e o crescimento do número de idosos no país, cada vez mais médicos e especialistas se deparam com questões relacionadas às terapias contra o envelhecimento. Dessa forma, Uma delas é a reposição hormonal. 

Muito se fala, hoje, dos chamados Hormônios Bioidênticos, substâncias hormonais que possuem exatamente a mesma estrutura química e molecular encontrada nos hormônios produzidos no corpo humano. A nomenclatura, no entanto, está sendo utilizada, indevidamente, apenas para os hormônios manipulados, como se fossem novas opções de tratamento quando, na verdade, há muito tempo hormônios bioidênticos são produzidos em indústrias farmacêuticas e estão disponíveis nas farmácias.

Para o Dr. Ricardo Meirelles, o uso do termo vem sendo feito com objetivos evidentemente comerciais, como uma forma de marketing. "Na realidade, quando um endocrinologista prescreve tiroxina (hormônio tiroidiano), estradiol e progesterona natural (hormônios ovarianos), testosterona (hormônio masculino), hormônio do crescimento e outros, está receitando hormônios bioidênticos, no sentido de que são hormônios cuja fórmula molecular é igual à dos produzidos pelo corpo humano", afirma.

De acordo com a Dra. Ruth Clapauch*, o uso dos bioidênticos pode ser apropriado, porém devem ser utilizados com cautela. "Eles são importantes para controlar os níveis hormonais no organismo, repondo o que falta no nosso corpo, mas somente um endocrinologista estará apto para receitá-los de maneira correta, na dose ideal, evitando complicações futuras", afirma. Para ela, médicos devem estar atentos e dar preferência na prescrição médica a produtos produzidos com tecnologia de ponta e não artesanalmente, onde possa estar garantido o grau de pureza, dosagem, estabilidade, absorção, eficácia e segurança. "Fórmulas manipuladas podem apresentar diferenças em relação a substâncias testadas pela indústria farmacêutica, que passaram por estudos em laboratório, em animais e em pessoas antes que fossem aprovadas  para comercialização", afirma.

A doutora relembra o posicionamento Sociedade de Endocrinologia dos Estados Unidos. Ele adverte que a fabricação individualizada de um hormônio, a tal "customização", é praticamente impossível de ser alcançada "porque os níveis de hormônio no sangue são difíceis de medir e regular devido às variações fisiológicas". Além disso, segundo o posicionamento, não há estudos que atestem os benefícios e riscos dos bioidênticos manipulados.

A especialista concorda com o texto. "Muitos dos manipulados não são controlados pelos órgãos de vigilância sanitária, ao contrário daqueles fabricados pelos grandes laboratórios, que foram testados e estudados", afirma. "Com hormônios industrializados, fica mais fácil para que o endocrinologista individualize a reposição hormonal, já que não existem oscilações nem inconsistência na quantidade das substâncias", completa.

Embora muitos médicos defendam que os bioidênticos sejam a chave para reduzir o processo de envelhecimento do corpo de maneira natural, nada está comprovado cientificamente e a população deve tomar cuidado com tais promessas. "Alguns especialistas defendem o fato de que os bioidênticos manipulados são naturais e, por causa disso, o organismo seria capaz de metabolizá-lo da mesma forma que faria com um hormônio do próprio corpo. No entanto, eles são produzidos de maneira artificial, e sofrem alterações em sua estrutura química", alerta a Dra. Ruth.


(*)Dra. Ruth Clapauch
Formação
Residência médica + curso de especialização em Endocrinologia (IEDE)
Título de especialista em Endocrinologia
Mestrado (UFRJ) e Doutorado (UERJ)
Professora de pós graduação em Endocrinologia

Atualmente é vice-presidente do Departamento de Endocrinologia Feminina e Andrologia, já tendo sido presidente deste Departamento em 2 gestões
Membro da Comissão de Educação Médica Continuada da SBEM
Autora de diversos artigos em revistas científicas nacionais e internacionais sobre reposição hormonal

 
(11) 5584-6938 | gerencia.sobrac@menopausa.org.br
Endereço de correspondência: Caixa Postal 60160  CEP 05323-970  São Paulo  SP
Desenvolvido por Link e Cérebro
fechar [ x ]
CONDIÇÕES PARA FILIAÇÃO

1) O que é a SOBRAC
A Associação Brasileira de Climatério é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, e tem como objetivo a divulgação de informações e conceitos nesta área de conhecimento médico e humanístico, visando a melhoria da qualidade de vida das mulheres que se encontram na fase do climatério.

2) Quais os benefícios em ser sócio da SOBRAC?
- Jornal da SOBRAC (periodicidade trimestral);
- Publicações de consensos;
- Acesso a área restrita em nosso site, onde dispomos de publicações atualizadas na área do Climatério;
- Concessão de descontos em eventos médicos apoiados pela SOBRAC;
- Preços e promoções especiais em nosso congresso realizado a cada dois anos;
- Vantagens e descontos em todos os Projetos a serem realizados pela SOBRAC.

3) Quem pode ser sócio da SOBRAC?
Somente médicos e profissionais da saúde (Psicólogos, Enfermeiros, Farmacêuticos e etc.) mediante apresentação do comprovante de inscrição em seu Conselho Regional da sua área (CRM, CRP, CRF, etc.).

4) Como funciona?
Após seu aceite em se filiar à SOBRAC, você estará fazendo parte de nosso mailling de associados, para o qual enviamos regularmente informações através de e-mails ou correspondências sobre novidades na área do Climatério e Menopausa (realização de eventos, campanhas e datas comemorativas, artigos científicos atualizados, etc.)

5) Qual o valor a ser pago e forma de pagamento?
O interessado em se associar a SOBRAC deverá colaborar com o valor de R$ 100,00/ano.
- Pagamentos até junho -> Validade da filiação até dezembro do mesmo ano.
- Pagamentos feitos a partir de julho, a anuidade será válida até o próximo ano completo.

Para o pagamento da anuidade, será emitido um boleto após o cadastro no site da SOBRAC e aceite às nossas condições.

6) Finalidade da cobrança
Esclarecemos que a arrecadação de verbas para a SOBRAC é feita somente através do pagamento de anuidades de nossos sócios, além de patrocínios da indústria farmacêutica para projetos específicos.
Por se tratar de uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, toda a renda adquirida é utilizada para a manutenção de nossa secretaria (gastos com telefonia, aluguel, contas de consumo, funcionário, encargos e etc), e para a realização de projetos científicos como Campanhas do dia mundial da menopausa, Reuniões de consenso, Publicação científicas, realização de eventos dentre outros.

Em caso de dúvidas, envie e-mail para sobrac@menopausa.org.br, ou ligue para nossa secretaria- fone (11) 5584-6938.

Esperamos poder contar com o seu importante apoio para melhorar nosso trabalho dirigido à pesquisa e à reciclagem dos médicos de todo o país.