0 SOBRAC | SBGG - Carta aberta à população
SOBRAC - Associação Brasileira de Climatério
Buscar
Acesse nosso Facebook

SBGG - Carta aberta à população



Prezados Cidadãos e Cidadãs,

O envelhecimento populacional é um fenômeno mundial. No Brasil o processo iniciou-se a partir de 1960 e as mudanças se dão a largos passos. Em 1940, a população brasileira era composta por 42% de jovens com menos de 15 anos enquanto os idosos representavam apenas 2,5%. No último Censo realizado pelo IBGE, em 2010, a população de jovens foi reduzida a 24% do total. Por sua vez, os idosos passaram a representar 10,8% do povo brasileiro, ou seja, mais de 20,5 milhões de pessoas possuem mais de 60 anos, isto representa incremento de 400% se comparado ao índice anterior. A estimativa é de que nos próximos 20 anos esse número mais que triplique.

Infelizmente, nosso País ainda não está preparado para atender às demandas dessa população. A Política Nacional do Idoso assegura, em seu art. 2º, direitos que garantem oportunidades para a preservação de sua saúde física e mental, bem como seu aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social em condições de liberdade e dignidade.

Apesar de avanços, como a aprovação do Estatuto do Idoso, a realidade é que os direitos e necessidades dos idosos ainda não são plenamente atendidos. No que diz respeito à saúde do idoso, o Sistema Único de Saúde (SUS) ainda não está preparado para amparar adequadamente esta população.

Neste contexto, prevalecem as doenças crônicas e suas complicações: hipertensão arterial, doença coronariana, sequelas de acidente vascular cerebral, limitações provocadas pela insuficiência cardíaca e doença pulmonar obstrutiva crônica, amputações e cegueira provocados pelo diabetes além da dependência determinada pelas demências.

Já as unidades de atenção básica, “porta de entrada” do idoso no sistema, ainda tem muito a melhorar. Os profissionais da saúde tem olhar fragmentado do idoso e não foram capacitados para atendê-lo de maneira integral. As equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF) e dos Núcleos de Apoios da Saúde da Família (NASF) por sua vez, estão incompletas e insuficientes para atender esta parcela da população.

Também há deficiência na quantidade de profissionais, na estrutura física e na rede de exames complementares para atender à necessidade de saúde dos idosos, gerando demora acentuada no atendimento, o que acaba levando a piora do quadro clínico. Assim, os mais velhos acabam sendo levados para as emergências/urgências (Unidades de Pronto Atendimento) e, consequentemente, em situação mais grave e já com indicação de internação hospitalar. Quadro que poderia ter sido evitado, caso houvesse o atendimento adequado no momento correto.

A carência de leitos clínicos nos hospitais públicos, que sofrem com a falta de vários recursos, ocasiona, quando o paciente consegue se internar, prolongamento do tempo de permanência, aumentando o risco de complicações e o óbito do idoso.

Este é o retrato da saúde pública no Brasil, que apesar dos indiscutíveis avanços, apresenta um cenário de deficiências e falta de integração em todos os níveis de atenção à saúde: primária (atendimento deficiente nas unidades de saúde da atenção básica), secundária (carência de centros de referências com atendimento por especialistas) e terciária (atendimento hospitalar com abordagem ao idoso centrada na doença), ou seja, não há, na prática, uma rede de atenção à saúde do idoso.

Diante deste cenário, a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – SBGG, entidade filiada à Associação Médica Brasileira (AMB), e que congrega cerca de 2250 associados, distribuídos em 18 seções estaduais, vem a público manifestar suas preocupações com o presente e o futuro dos idosos no Brasil. É preciso garantir a saúde como direito universal.

Esperamos que tanto nossos atuais, quanto os futuros governantes e legisladores reflitam sobre a necessidade de investir na saúde e na qualidade de vida associada ao envelhecimento.

Dignidade à saúde do idoso!

Rio de Janeiro, 15 de Setembro de 2014.
João Bastos Freire Neto
Presidente SBGG Gestão 2014-2016
Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia
(11) 5584-6938 | gerencia.sobrac@menopausa.org.br
Endereço de correspondência: Caixa Postal 60160  CEP 05323-970  São Paulo  SP
Desenvolvido por Link e Cérebro
fechar [ x ]
CONDIÇÕES PARA FILIAÇÃO

1) O que é a SOBRAC
A Associação Brasileira de Climatério é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, e tem como objetivo a divulgação de informações e conceitos nesta área de conhecimento médico e humanístico, visando a melhoria da qualidade de vida das mulheres que se encontram na fase do climatério.

2) Quais os benefícios em ser sócio da SOBRAC?
- Jornal da SOBRAC (periodicidade trimestral);
- Publicações de consensos;
- Acesso a área restrita em nosso site, onde dispomos de publicações atualizadas na área do Climatério;
- Concessão de descontos em eventos médicos apoiados pela SOBRAC;
- Preços e promoções especiais em nosso congresso realizado a cada dois anos;
- Vantagens e descontos em todos os Projetos a serem realizados pela SOBRAC.

3) Quem pode ser sócio da SOBRAC?
Somente médicos e profissionais da saúde (Psicólogos, Enfermeiros, Farmacêuticos e etc.) mediante apresentação do comprovante de inscrição em seu Conselho Regional da sua área (CRM, CRP, CRF, etc.).

4) Como funciona?
Após seu aceite em se filiar à SOBRAC, você estará fazendo parte de nosso mailling de associados, para o qual enviamos regularmente informações através de e-mails ou correspondências sobre novidades na área do Climatério e Menopausa (realização de eventos, campanhas e datas comemorativas, artigos científicos atualizados, etc.)

5) Qual o valor a ser pago e forma de pagamento?
O interessado em se associar a SOBRAC deverá colaborar com o valor de R$ 100,00/ano.
- Pagamentos até junho -> Validade da filiação até dezembro do mesmo ano.
- Pagamentos feitos a partir de julho, a anuidade será válida até o próximo ano completo.

Para o pagamento da anuidade, será emitido um boleto após o cadastro no site da SOBRAC e aceite às nossas condições.

6) Finalidade da cobrança
Esclarecemos que a arrecadação de verbas para a SOBRAC é feita somente através do pagamento de anuidades de nossos sócios, além de patrocínios da indústria farmacêutica para projetos específicos.
Por se tratar de uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, toda a renda adquirida é utilizada para a manutenção de nossa secretaria (gastos com telefonia, aluguel, contas de consumo, funcionário, encargos e etc), e para a realização de projetos científicos como Campanhas do dia mundial da menopausa, Reuniões de consenso, Publicação científicas, realização de eventos dentre outros.

Em caso de dúvidas, envie e-mail para sobrac@menopausa.org.br, ou ligue para nossa secretaria- fone (11) 5584-6938.

Esperamos poder contar com o seu importante apoio para melhorar nosso trabalho dirigido à pesquisa e à reciclagem dos médicos de todo o país.